08 de julho de 2018 às 02:00

Vinho de cevada é uma boa pedida para o inverno

Pouco disseminado por aqui, o estilo de cerveja barley wine, ou vinho de cevada, não tem nada a ver com o chope de vinho (aquela refrescante aberração da natureza), tampouco é feito com uvas. Nada disso. É um estilo encorpado, forte, com teor alcoólico en

Pouco disseminado por aqui, o estilo de cerveja barley wine, ou vinho de cevada, não tem nada a ver com o chope de vinho (aquela refrescante aberração da natureza), tampouco é feito com uvas. Nada disso. É um estilo encorpado, forte, com teor alcoólico entre 8% e 12%, perto de um vinho --e uma boa pedida para o inverno também.

Reza a lenda que o estilo nasceu na Inglaterra e se desenvolveu graças à falta de vinho que de vez em quando abalava os etílicos aristocratas no século 17. No entanto, só começou a ser vendido comercialmente em meados do século 19. Algumas barley wine são maturadas em barris de madeira antes usados para vinhos, reforçando no copo as características da bebida.

Também são boas cervejas de guarda, algumas delas inclusive são rolhadas, como um vinho.

Mais tradicionais no velho continente, principalmente na Inglaterra, as barley wines proliferaram por esse mundão das artesanais; as americanas são mais aromáticas e lupuladas --eita gente que gosta de um amargor. Para apreciá-la com toda a pompa (frescura) use o copo snifter, semelhante a um cálice... ou apele à taça de vinho mesmo.

No dia 21 de julho acontece a oitava edição do Dum Day, que reunirá em um único dia 88 cervejas no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. A Dum, organizadora do evento, deve mostrar várias versões de sua Petroleum, uma potente oatmeal stout. Também estarão presentes outras ótimas cervejarias do sul, como a Ogre Beer, a Antídoto e a Tupiniquim. Mais informações e pacotes em cervejariadum.com.br.

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo